Tradutor

English French Spain

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Aves no Parque

Dia de censo de aves, muito produtivo no Parque em meio a chegada das espécies do hemisfério norte, para somar com as residentes.......




Fotos: Arquivo do PNLP.



sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Equipe do CECLIMAR reunida na sede do Parque Nacional da Lagoa do Peixe

Equipe do Parque Nacional da Lagoa do Peixe, reunida com o Secretário de Planejamento e Meio Ambiente de Mostardas e com equipe do Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos - CECLIMAR. Reunião com o intuito de auxiliarmos no convênio que será formado, aumentando o conhecimento sobre a nossa região, repassando-os para a sociedade!


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Jornada pelos principais sítios Ramsar da América do Sul



Hoje tivemos a visita do pesquisador Charles Tebaldi, que está iniciando uma jornada em que irá percorrer alguns dos principais sítios Ramsar da América do Sul de bicicleta! Você pode acompanhar a viagem dele no blog Biciafuera: https://biciafuera.wordpress.com Ficamos honrados de ser um dos sítios Ramsar visitados, o que só aumenta ainda mais a importância deste local único que é o Parque Nacional da Lagoa do Peixe. Obrigado Charles, e boa viagem!" #preserveopnlp

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Centro de visitação recebe alunos da Escola Municipal Marcelo Gama

O centro de visitação do Parque Nacional da Lagoa do Peixe recebeu hoje dia 11/09 uma turma de alunos da segunda série da Escola Municipal Marcelo Gama de Mostardas/RS.




quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Dia Mundial das Aves Limícolas Migratórias

No Dia Mundial das Aves Limícolas Migratórias, comemorado nesta quarta-feira (06/09), especialistas alertam para o declínio acentuado das populações nos últimos anos. Patrimônio comum de diversos países por onde passam ao longo do ciclo de vida, protegê-las requer esforços e acordos internacionais. 
No país, essa missão é capitaneada pelo Ministério do Meio Ambiente e vinculadas.
As aves limícolas migratórias são espécies que têm pernas mais altas e bicos mais compridos para se alimentar de pequenos animais que se enterram na areia ou estão na superfície da água. Elas realizam anualmente as mais extensas migrações internacionais e são consideradas patrimônio dos países por onde passam. Algumas se deslocam por mais de 30 mil quilômetros por ano.


                                      Foto arquivo do PNLP

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Observar Aves Limícolas Migratórias

Por que observar aves limícolas migratórias?
Observar aves é uma atividade prazeirosa, permite conectar-se com a natureza e a fauna silvestre em paisagens bonitas e ambientes naturais ricos e diversos, o que faz bem para o corpo e a alma. É uma atividade democrática que todos podem fazer, não é preciso ser especialista e é recomendado para todas as idades. Aprende-se muito  sobre a ecologia das aves e ambientes, as diferentes espécies, hábitos alimentares. Aves limícolas migratórias são excelentes para iniciar e praticar a observação de aves. Ocorrem em ambientes abertos como praias, rios e lagoas, facilitando a visualização. Também podem ser encontradas durante todo o dia nesses ambientes e muitas vezes em grandes bandos. Fácil demais? Existem mais de quarenta espécies registradas no Brasil, algumas muito semelhantes, é um desafio aprender a diferenciar as espécies e contar as aves em bandos que podem ultrapassar centenas  de aves... É importante observar o tamanho das aves - se pequenas, médias ou grandes; a coloração das penas, do bico e das patas; o tipo de canto; o formato dos bicos e comprimento das pernas (esses últimos contam muito sobre os hábitos das aves e o que elas comem). Se elas tem anilhas ou bandeirolas coloridas nas patas.  Usar binóculos, guias de campo e cadernetas para anotações ajudam muito. Existem hoje na internet guias e sites que auxiliam muito a confirmação das espécies observadas em campo.  E existem sites como o wiki aves e e-bird onde os registros individuais podem ser colocados pelos observadores, contibuindo com o conhecimento global sobre as espécies, sua distribuição e movimentos migratórios.
No Dia Mundial das Aves Migratórias- dia 06 de setembro, observadores de aves são convidados a registrar os maçaricos, narcejas e batuíras ao redor do mundo e compartilhar suas observações no site e-bird. Estamos em época de migração, e as observações refletem os movimentos das aves. Você pode observar as aves em qualquer lugar, perto da sua casa, em algum ambiente próximo à água onde elas podem estar.
Se você mora perto do Parque Nacional da Lagoa do Peixe, visite o Parque, aproveite para conhecer os seus ambientes e descubra porque milhares de aves limícolas migratórias incluíram o Parque na sua rota migratória. Celebre o Dia Mundial das Aves Limícolas Migratórias.


Quantos e quais maçaricos tem aqui!

Calidris fuscicollis  
Autora das fotos 01 e 02: Danielle Paludo 

Você consegue ver a bandeirola! 
Imagem de Diego Luna Quevedo, feita no Parque Nacional da Lagoa do Peixe há duas semanas.
 

Para saber mais: https://worldshorebirdsday.wordpress.com/2017/08/31/global-shorebird-counting-has-commenced/

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Aves Limícolas Migratórias

Você sabe o que é uma ave limícola migratória?
Aves limícolas migratórias são os maçaricos, batuíras e narcejas que frequentam as praias, lagoas e áreas úmidas. Geralmente são aves pequenas, tem poucas cores, pernaltas e possuem diferentes formatos de bicos, apropriados para capturar o seu alimento - invertebrados aquáticos, pequenos insetos, plancton e outros disponíveis nessas áreas. A principal característica comum às diferentes espécies é a enorme capacidade de vôo, especialmente de longas distâncias. Aves com pouco mais de 200 gramas, como o maçarico rasteirinho chegam a voar cinco dias sem parar. O baituruçu, outra espécie, percorre mais de 30.000 km anualmente entre as áreas de reprodução, no Ártico e as áreas de invernada, na América do Sul. E entre os campeões, temos o exemplo de um indivíduo do maçarico do peito tijolo marcado marcado com a anilha B95 foi observado 24 anos após a marcação. Ele é conhecido como moonbird. Isso porque a distância percorrida durante esse período por ele em suas migrações, permitiria que ele tivesse ido até a lua!
O Parque Nacional da Lagoa do Peixe, no RS, é uma das mais importantes áreas de invernada das aves limícolas migratórias na América do Sul, e por isso foi reconhecido , recebendo milhares de aves limícolas migratórias todos os anos. Além de rico em biodiversidade e possuir paisagens lindas, o Parque Nacional da Lagoa do Peixe é um dos melhores locais para observar aves limícolas migratórias. Visite e conheça o Parque! 
 
 
 Figura 1 - Rotas migratórias de aves limícolas no Brasil
 
 
 
 
Figura 2 - Aves limícolas migratórias descansam no Parque Nacional da Lagoa do Peixe. Foto Danielle Paludo